Movimento Comunitário em Defesa da Moradia na Vila Industrial


Os diretores da FACESP e MUHAB, Maura Augusta, Tonhão, André Araujo, e Fabiana que veio de Jardinópolis (interior), foram fortalecer a luta de um grupo de famílias que está ameaçado de ver suas casas demolidas, além de uma igreja. A decisão é da COHAB, que desde 2002 tenta tirar os moradores que estão lá desde 1994.

As famílias foram notificas há um mês, mesmo prazo que a COHAB concedeu para eles saírem. O arquiteto Maurílio Chiaretti, que presta assessoria a FACESP está fazendo o projeto de regularização fundiária para manter as moradias e dar segurança jurídica aos moradores. As reintegrações não se resumem a estas casas, outras ruas do bairro também terão moradias atingidas pela mesma medida. O Diretor Jurídico da FACESP, André Araújo tem dado assistência às famílias.

A reunião ocorreu na igreja evangélica do bairro, cuja pastora e liderança comunitária – Irani é uma das organizadoras da luta. Também estiveram outras lideranças: Tais (União de Moradores do Pq. da Moóca e Adjacências), Bobi (Associação de Moradores do Bairro), Marina e Silvia (assessoras T. Vespoli), Zezinho (assessor J. Cardoso) Pastor Almir, e Angeli (MRFU). A reunião decidiu que todos os moradores farão um cadastro para facilitar a identificação perante o poder público.

por Tonhão MUHAB/FACESP/CONAM

Compartilhe agora com seus amigos

Notícias Relacionadas

veja também em nosso site

Galeria de Fotos

Galeria de Fotos